Please use this identifier to cite or link to this item: http://guaiaca.ufpel.edu.br:8080/handle/123456789/1845
metadata.dc.type: masterThesis
Title: Intensidade e duração dos esforços físicos em aulas de Educação Física curriculares
Other Titles: Intensity and duration of physical efforts in physical education classes.
Authors: Kremer, Marina Marques
metadata.dc.description.resumo: A escola, em especial as aulas de Educação Física (EF) encontram-se em posição privilegiada para promoção da saúde entre crianças e adolescentes. Entretanto, pouco se conhece sobre os programas de EF no Brasil. O objetivo do estudo foi determinar a intensidade e duração dos esforços físicos nas aulas de EF no ensino fundamental e médio. Metodologia: Foi desenvolvido um estudo transversal de base escolar. A amostragem foi realizada em múltiplos estágios, estratificada por rede, nível e série de ensino. Ao todo, 16 escolas e 272 estudantes participaram do estudo, totalizando 218 observações de aula. Foi aplicado um questionário para identificar espaços físicos e materiais disponíveis para a aula de EF e um questionário para os estudantes. As aulas foram avaliadas através do instrumento de observação direta SOFIT (System for Observing Fitness Instruction Time) e a intensidade mensurada através de acelerômetros. Para a determinação da intensidade dos esforços foram adotados os seguintes pontos de corte (em counts): atividades sedentárias (0-100), leves (101-2000), moderadas (2001-4999), vigorosas (5000-7999) e muito vigorosas (>8000). Para determinação do desfecho atividades físicas moderadas a vigorosas (AFMV) foram agrupadas as categorias de AF moderada, vigorosa e muito vigorosa. Resultados: O tempo médio de duração das aulas foi de 35,6 minutos (DP 6,0), enquanto que a média de tempo das aulas despendido efetivamente em AFMV foi de 12,3 minutos (DP 9,7). A proporção média de tempo das aulas em AFMV foi de 32, 7% (DP 25,2). Os meninos (44,1%) envolveram-se significativamente mais em AFMV do que as meninas (21,0%; p<0,01). Estudantes que se envolvem em atividade física fora das aulas também tiveram maior participação em AFMV nas aulas de EF. Não foram encontradas diferenças significativas na prática de AFMV em diferentes redes de ensino e série escolar. Conclusão: A proporção de tempo em AFMV encontrada foi baixa indicando que durante as aulas de EF os estudantes são pouco submetidos a atividades com intensidades e duração suficientes para provocar adaptações orgânicas que tragam benefício à saúde. Estratégias urgentes são necessárias para o aumento da intensidade e duração dos esforços físicos em aulas de Educação Física.
Abstract: The school, and in particular the Physical Education classes (PE), are in a privileged position for the promotion of health among children and adolescents. However, little is known about the PE programs in Brazil. The aim of this study was to estimate the intensity and duration of physical efforts in PE classes in primary and secondary school. Methodology: A school-based cross-sectional study was carried out. A multistage sampling strategy was used, including stratification by education network (public and private) and grade. We sampled 16 schools, and 272 students took part in the study, totaling 218 classes observations. We administered a questionnaire to identify physical spaces and materials available to the PE classes and a questionnaire for students. The outcome variables were evaluated by an instrument of direct observation the System for Observing Fitness Instruction Time SOFIT; and the intensity of the classes was measured by accelerometry. To determine the intensity of the efforts we used the following cut-off points (in counts): sedentary activities (0-100), light activities (101-2000), moderate activities (2001-4999), vigorous (5000-7999) and very vigorous (>8000). The outcome "moderate to vigorous physical activity (MVPA)" was created by grouping moderate, vigorous and very vigorous activities. Results: The mean duration of the classes was 35.6 minutes (SD 6.0), whereas the mean time spent in MVPA was 12.3 minutes (SD 9.7). The mean proportion of the time spent on MVPA was 32.7% (SD 25.2). Boys (44.1%) spent a higher proportion of the classes in MVPA as compared to girls (21.0%; p<0.01). Students who practice physical activity outside the PE classes were more likely to engage in MVPA during the classes. There were no significant differences in the practice of MVPA in different educational networks and school grades. Conclusions: The proportion of time spent in MVPA was low, indicating that during PE classes students are, most of the time, carrying out activities that are not of sufficient intensity and duration to produce organic changes leading to health benefits. Urgent strategies are needed in order to increase the intensity and duration of physical efforts in Physical Education classes
Keywords: Educação física
Physical education
School
Intensity
Accelerometer
SOFIT
Escola
Intensidade
Acelerômetro
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::EDUCACAO FISICA
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: BR
Publisher: Universidade Federal de Pelotas
metadata.dc.publisher.initials: UFPel
metadata.dc.publisher.department: Escola Superior de Educação Física
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-Graduação em Educação Física
Citation: KREMER, Marina Marques. Intensity and duration of physical efforts in physical education classes.. 2010. 134 f. Dissertação (Mestrado em Educação Física) - Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, 2010.
metadata.dc.rights: OpenAccess
URI: http://hdl.handle.net/123456789/1845
Issue Date: 26-Feb-2010
Appears in Collections:PPGEF: Dissertações e Teses

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Marina Kremer.pdf2,24 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.