Please use this identifier to cite or link to this item: http://guaiaca.ufpel.edu.br:8080/handle/123456789/2350
metadata.dc.type: masterThesis
Title: Fenologia e comportamento de parasitoidismo de Spalangia endius Walker, 1839 (Hymenoptera, Pteromalidae) em condições de laboratório
Other Titles: Phenology and parasitoidism behavior of Spalangia endius Walker, 1839 (Hymenoptera, Pteromalidae) under laboratory conditions
metadata.dc.creator: Araújo, Dani Furtado de
metadata.dc.description.resumo: Moscas sinantrópicas frequentemente atingem status de praga em áreas urbana e rural, assumindo um papel importante quanto ao incômodo e capacidade vetorial para o homem e animais.Portanto, para um controle satisfatório destes dípteros é necessário conhecer seus inimigos naturais. O sucesso do controle biológico como uma técnica inserida em um programa de Manejo Integrado de Pragas depende da avaliação de inimigos, como potenciais agentes para controle biológico, através do desenvolvimento de técnicas de criação e avaliações em laboratório. Por estas razões este estudo objetivou conhecer a fenologia de Spalangia endius bem como o parasitoidismo desta espécie utilizando como hospedeiros M. domestica, Muscina stabulans e Chrysomya megacephala, sendo as duas últimas potenciais hospedeiros alternativos. Para realização dos experimentos foram mantidas colônias de S. endius, M. domestica, M. stabulans e C. megacephala em câmara climatizada, 26ºC ± 2°C, umidade relativa ≥70% e fotofase de 12 horas. Para conhecer a fenologia de S. endius, 360 pupas de Musca domestica com idade de 24 a 48 horas foram expostas a 15 casais de S. endius por um período de 48 horas a 26ºC ± 2°C. Estas pupas foram mantidas em estufa B.O.D nas mesmas condições da câmara de criação, onde diariamente dissecava-se 15 espécimes para observar o estágio e tempo de desenvolvimento do himenóptero. A fenologia de S. endius em pupas de M. domestica apresentou um ciclo de desenvolvimento (ovo-adulto) de 19 a 31 dias, cujo período de incubação foi de 24 horas, o desenvolvimento de larvas de S. endius ocorreu nos 12 dias subsequentes nos quais, uma série de modificações morfológicas foi observada. O estágio de pré-pupa deu-se no décimo dia onde cessa a movimentação e inicia a eliminação de mecônio. O estágio pupal ocorreu em no mínimo oito e máximo 12 dias, finaliza o ciclo com a emergência de machos e cerca de vinte quatro horas após, há emergência das fêmeas. O parasitoidismo sobre as espécies hospedeiras foi maior em M. domestica com 63% seguido de M. stabulans e C. megacephala com 27,5% e 16,5%, respectivamente. As medidas morfométricas confirmaram a preferência por M. domestica devido ao maior tamanho dos espécimes desenvolvidos neste hospedeiro. Não houve diferença significativa quanto ao tamanho dos parasitóides que se desenvolveram em pupas de M. stabulans e C. megacephala bem como não houve influencia no tamanho do parasitóide em relação ao sexo. Os dados obtidos sobre o parasitismo de S. endius nos diferentes hospedeiros indicam que nas condições deste estudo o hospedeiro mais adequado é M. domestica. Com base na fenologia de S. endius estudos pormenorizados poderão ser conduzidos afim de aprimorar a criação deste parasitóide em condições de laboratório permitindo viabilizar o controle biológico de M. domestica bem como de M. stabulans e C. megacephala.
Abstract: Synantropic flies frequently reach the status of plague in urban and rural areas, assuming an important role regarding its vectorial ability and nuisance to men and animals. Therefore, it is necessary to know their natural enemies in order to achieve a satisfactory control of these dipterans. The success of the biological control as an alternative to the Integrated Pest Management depends on the evaluation of enemies as potential control agents through the development of breeding techniques and laboratory evaluations. Considering that, this study had as objective to understand the phenology of Spalangia endius as well as the parasitoidism of this species using M. domestica, Muscina stabulans and Chrysomya megacephala as hosts, being the last two potential alternative hosts. Colonies of S. endius, M. domestica, M. stabulans e C. megacephala were kept in climatized chamber, at 26ºC ± 2, relative air humidity ≥70% and 12 hours photophase. In order to know the phenology of S. endius, 360 pupae of Musca domestica with ages ranging from 24 to 48 hours were exposed to 15 couples of S. endius for a period of 48 hours at 26ºC ± 2. These pupae were kept in B.O.D chambers at the same conditions of the climatized chamber, where 15 specimens were dissecated to observe the stage and the development time of the hymenopteran. The phenology allows concluding that S. endius presents a development cycle (egg-adult) of 19 to 31 days, with an incubation period of 24 hours, the development of the larvae of S. endius occurred in the 12 subsequent days, in which a series of morphological alterations were observed. The pre-pupae stage occurred in the tenth day where the movement ceased and the meconium elimination begun. The pupal stage occurred in at least 8 and at maximum 12 days, ending the cycle with the emergence of males and around 24 hours later, the emergence of females. The parasitoidism on thet host species was higher in M. domestica with 63%, followed by M. stabulans and C. megacephala with 27,5% and 16,5% respectively. The morphometrical measures confirmed the preference for M. domestica due to the higher size of the parasitoids that developed in this host. There was no significant difference regarding to the size of the parasitoids that developed in pupae of M. stabulans and C. megacephala as well as there was no influence of the sex in the size of the parasitoid. The data here obtained on the parasitoidism of S. endius in the different hosts show that under the studied conditions the best host is M. domestica. Based on the phenology of S. endius, further detailed studies can be carried out in order to optimize the breeding of this parasitoid in laboratory conditions, allowing the biological control of M. domestica as well as M. stabulans e C. megacephala.
Keywords: Mosca domestica
Parasitóide
Controle biológico
Fenologia
Hospedeiros alternativos
House fly
Parasitoid
Biological control
Phenology
Alternative host
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS BIOLOGICAS::PARASITOLOGIA
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: BR
Publisher: Universidade Federal de Pelotas
metadata.dc.publisher.initials: UFPel
metadata.dc.publisher.department: Biologia
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-Graduação em Parasitologia
Citation: ARAÚJO, Dani Furtado de. . Phenology and parasitoidism behavior of Spalangia endius Walker, 1839 (Hymenoptera, Pteromalidae) under laboratory conditions. 2011. 58 f. Dissertação (Mestrado em Biologia) - Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, 2011.
metadata.dc.rights: OpenAccess
URI: http://hdl.handle.net/123456789/2350
Issue Date: 8-Jun-2011
Appears in Collections:Pós-Graduação em Parasitologia: Dissertações e Teses

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
dissertacao_dani_araujo.pdf958,44 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.