Please use this identifier to cite or link to this item: http://guaiaca.ufpel.edu.br:8080/handle/prefix/4406
metadata.dc.type: doctoralThesis
Title: Acento gráfico e prosódico: um estudo sobre as hipóteses de crianças dos anos iniciais
Other Titles: Graphic and Prosodic Accents: a Study of Hypotheses Stated by Third and Fifth Graders attending Elementary School
Authors: Ney, Luanda Alvariza Gomes
metadata.dc.description.resumo: Esta tese buscou contemplar as relações entre o acento gráfico e o acento prosódico do português brasileiro com base em dados de produção e percepção de crianças dos anos iniciais. Na pesquisa desenvolvida, o foco recaiu sobre as hipóteses das crianças estudadas a respeito do acento gráfico, verificando possíveis relações entre o modo como o acento é utilizado, bem como as justificativas formuladas para seus usos, e o funcionamento prosódico do português brasileiro. A tese assenta-se na perspectiva da teoria métrica (HAYES, 1981, 1995; BISOL, 1992,1994), para análise do acento em português, e, no que concerne ao processo de aquisição da escrita, no paradigma teórico de Ferreiro e Teberosky (1985). A pesquisa, que contou com a participação de crianças do 3° e do 5° ano do Ensino Fundamental de uma escola pública municipal de Pelotas/RS, analisou dados obtidos por meio da implementação de quatro instrumentos: (a) Oficina de Produção textual, (b) Teste de sensibilidade ao acento prosódico, (c) Ditado de Imagens; e (d) Escrita de pares mínimos contrastivos. Tais instrumentos viabilizaram a obtenção de diferentes tipos de dados, a saber: de escrita espontânea, de escrita controlada, de percepção do acento prosódico e de entrevistas orientadas pelo método clínico piagetiano (CARRAHER, 1989) cujo objetivo foi captar as formas de pensar das crianças a respeito do acento gráfico. O alto número de omissões do diacrítico nos dados de produção escrita,juntamente com as respostas apresentadas nas entrevistas, permitiu as seguintes constatações: (a) as crianças participantes da pesquisa estão pouco atentas ao uso do acento gráfico; (b) a grafia do diacrítico é, em grande parte, motivada por informações advindas do léxico ortográfico, sem que seja levado em conta o valor informativo do acento no sistema do português, qual seja, o de marcar as antitendências prosódicas da língua. A análise dos dados demonstrou que a hipótese predominante entre as crianças sobre a função do acento está relacionada à marcação de timbre e não à tonicidade. Segundo as justificativas apresentadas a respeito da necessidade de grafia do acento, verificou-se que, para as crianças estudadas, o acento gráfico é necessário nas palavras cujas vogais tônicas admitem variação de timbre e é dispensável nas palavras cujas vogais tônicas não apresentam timbre variável. A pesquisa indicou também que, entre as crianças participantes, a qualidade da vogal é capaz de influenciar a percepção do acento, assim, quanto mais alta a vogal, mais difícil a percepção do acento. Além disso, verificou-se uma melhor percepção, por parte das crianças, das semelhanças prosódicas que das diferenças. O estudo revelou uma sensibilidade das crianças à duração das vogais tônicas, principalmente da vogal baixa /a/, e alguma dificuldade na identificação da sílaba tônica nas palavras. Por fim, os achados da pesquisa mostram que, de forma não generalizável, os dados de escrita e as hipóteses infantis sobre o acento gráfico podem orientar os processos de ensino acerca deste objeto de conhecimento, de modo que o professor possa planejar e realizar intervenções adequadas, valorizando o conhecimento linguístico das crianças e as relações que elas estabelecem entre os aspectos fônicos e gráficos da língua.
Abstract: This dissertation aimed at studying the relations between the graphic accent and the prosodic one in Brazilian Portuguese, based on production and perception data provided by third and fifth graders who attend Elementary School. The focus was their hypotheses on the graphic accent; besides, relations among how the accent is used, explanations given to its use and the prosodic operation of Brazilian Portuguese were investigated. This text employed the perspective of the metric theory (HAYES, 1981, 1995; BISOL, 1992,1994) to analyze accents in Portuguese, whereas Ferreiro and Teberosky’s theoretical paradigm (1985) was used for reflecting on the process of writing acquisition. This study was carried out with third and fifth graders who attend a public city school in Pelotas, RS, Brazil. Data were collected by means of four instruments: (a) Textual production workshop; (b) Test of sensitivity to the prosodic accent; (c) Picture dictation; and (d) Writing contrastive minimal pairs. They made it feasible to collect different types of data, i. e., data on spontaneous writing, controlled writing, perception of the prosodic accent and on thoughts about the graphic accent. Children’s statements on their thoughts were collected by interviews guided by the Piagetian clinic method (CARRAHER, 1989). The high number of omissions of the diacritic in data on written production, along with answers collected by the interviews, led to the following conclusions: (a) children who took part in the research paid little attention to the use of the graphic accent; and (b) spelling of the diacritic is mostly motivated by information from the orthographic lexicon, i. e., the information value of the accent in Brazilian Portuguese – to mark prosodic anti-tendencies – is not taken into account. Data analysis showed that the children’s main hypothesis on the function of the accent is related to timbre markedness, rather than tonicity. Children’s justifications for the need to use the accent showed that they believe the graphic accent is needed on words whose tonic vowels admit timbre variation, but that it is unnecessary on words whose tonic vowels do not have a variable timbre. The study also showed that children believed that the quality of the vowel can influence the perception of the accent; thus, the higher the vowel, the harder it is to perceive the accent. Besides, children were found to have better perception of prosodic similarities than of differences. The study revealed children’s sensitivity to the duration of tonic vowels, mainly of the low vowel /a/, and some difficulty in identifying the tonic syllable in the word. Even though they are not generalizable, findings show that data on children’s writing and hypotheses on the graphic accent may guide teaching processes of this issue, so that teachers can plan and carry out adequate intervention which values children’s linguistic knowledge and relations they establish between graphic and phonic aspects of the language.
Keywords: Acento gráfico
Acento prosódico
Ortografia-fonologia
Aquisição da escrita
Anos iniciais
Graphic accent
Prosodic accent
Orthography-phonology
Acquisition of writing
First grades
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::EDUCACAO
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Federal de Pelotas
metadata.dc.publisher.initials: UFPel
metadata.dc.publisher.department: Faculdade de Educação
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-Graduação em Educação
Citation: NEY, Luanda Alvariza Gomes. Acento gráfico e prosódico: um estudo sobre as hipóteses de crianças dos anos iniciais. 2018. 204 f. Tese (Doutorado em Educação) - Programa de Pós-Graduação em Educação, Faculdade de Educação, Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, 2018.
metadata.dc.rights: OpenAccess
URI: http://guaiaca.ufpel.edu.br:8080/handle/prefix/4406
Issue Date: 24-Sep-2018
Appears in Collections:Pós-Graduação em Educação: Dissertações e Teses

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Luanda Alvariza Gomes Ney.pdf3,97 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons