Please use this identifier to cite or link to this item: http://guaiaca.ufpel.edu.br:8080/handle/prefix/5343
metadata.dc.type: masterThesis
Title: A cidade cemiterial: Cemitério da Santa Casa de Misericórdia de Pelotas (1855-1976).
Other Titles: The cemiterial city: Cemetery of Santa Casa de Misericórdia of Pelotas (1855-1976).
metadata.dc.creator: Aires, Anderson Pires
metadata.dc.contributor.advisor1: Gutierrez, Ester Judite Bendjouya
metadata.dc.description.resumo: As formas de inumar os corpos daqueles que haviam falecido apresentou diversas transformações com o passar dos séculos. Iniciando com covas cobertas de paus e pedras na pré-história, os enterramentos foram realizados em construções monumentais feitas para apenas uma pessoa na Antiguidade. Com o tempo, os mortos foram colocados em cemitérios longe das cidades e retornaram às urbes após suas expansões, além de serem inumados no interior de templos religiosos. Essas mudanças geralmente criavam uma separação entre pessoas de diferentes classes sociais, religiões e culturas. A partir do século XVIII os mortos passaram a ser vistos como uma ameaça aos vivos e isso resultou na separação entre eles. O distanciamento foi mais severo no século XIX, quando o perigo da propagação de doenças resultou na criação de novas regras para a instalação dos cemitérios municipais longe dos centros urbanos. Foi nesse contexto que surgiu a cidade cemiterial, um local dedicado apenas aos defuntos. Como a necrópole era uma representação da urbe, a pesquisa comparou as estruturas urbanas e arquitetônicas a fim de comprovar que o Cemitério da Santa Casa de Misericórdia simulou a cidade de Pelotas. Com isso, pôde-se identificar que a disposição de avenidas, travessas, quadras e bairros, além de situações que lembravam a organização político-administrativa da cidade, aproximaram a malha urbana do campo santo à de Pelotas. Além disso, a edificação tumular compreendeu distintas tipologias, linguagens arquitetônicas, detalhes construtivos e representações de cultura e religiosidade. Assim, a cidade cemiterial da Santa Casa de Misericórdia resultou em uma urbe semelhante a Pelotas, aproximando o espaço àquele ocupado pelos vivos.
Abstract: The ways of bury the bodies of those who had died had undergone several transformations over the centuries. Beginning with coves covered with sticks and stones in prehistory, burials were made in monumental buildings made for only one person in antiquity. Over time, the dead were placed in cemeteries far from the cities and returned to the cities after their expansions, as well as being buried within religious temples. These changes generally created a separation between people of different social classes, religions, and cultures. From the eighteenth century the dead came to be seen as a threat to the living and this resulted in the separation between them. The distancing was more severe in the nineteenth century, when the danger of disease spread resulted in the creation of new rules for the installation of municipal cemeteries far from urban centers. It was in this context that the city came into being, a place dedicated only to the deceased. As the necropolis was a representation of the city, the research compared the urban and architectural structures in order to prove that the Cemetery of Santa Casa de Misericórdia simulated the city of Pelotas. With this, it was possible to identify that the layout of avenues, crossroads, blocks and neighborhoods, besides situations that resembled the political-administrative organization of the city, approached the urban mesh of the holy field to the one of Pelotas. In addition, the tomb building comprised different typologies, architectural languages, constructive details and representations of culture and religiosity. Thus, the cemiterial city of Santa Casa de Misericórdia resulted in a city similar to Pelotas, approaching space to that occupied by the living.
Keywords: Arquitetura e Urbanismo
História
Cemitério
Pelotas (RS)
Santa Casa de Misericórdia
Architecture and Urbanism
History
Cemetery
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::ARQUITETURA E URBANISMO
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Federal de Pelotas
metadata.dc.publisher.initials: UFPel
metadata.dc.publisher.department: Faculdade de Arquitetura e Urbanismo
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo
Citation: AIRES, Anderson Pires. A cidade cemiterial: Cemitério da Santa Casa de Misericórdia de Pelotas (1855-1976). 2018. 227 f. Dissertação (Mestrado em Arquitetura e Urbanismo) – Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo, Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, 2018.
metadata.dc.rights: OpenAccess
URI: http://guaiaca.ufpel.edu.br:8080/handle/prefix/5343
Issue Date: 26-Mar-2018
Appears in Collections:PPGAU: Dissertações e Teses

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Anderson Pires Aires_Dissertacao.pdf15,77 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons