Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://guaiaca.ufpel.edu.br:8080/handle/123456789/120
Tipo: Article
Título: Taxa de penetração espermática in vitro em ovócitos suínos utilizando espermatozóides acondicionados com o diluente PIGPEL-5 à 5ºC
Autor(es): Corrêa, Marcio Nunes
Lucia Júnior, Thomaz
Deschamps, João Carlos
Serret, Carolina Gonçalves
Bordignon, Jonas
Rambo, Gissele
Abstract: O objetivo deste experimento foi avaliar o efeito de um diluente para acondicionamento de sêmen suíno à 5ºC (PIGPEL-5), sobre a taxa de penetração espermática in vitro, comparado com o sêmen diluído com BTS e acondicionado à 17ºC. Foram utilizados ejaculados de 4 machos suínos, coletados por duas vezes (Coleta 1 e 2). Os ejaculados foram coletados pelo método da mão enluvada. Após a coleta do sêmen, foram registradas as informações quanto ao volume, aspecto, motilidade, vigor e concentração, para cada ejaculado. Foram produzidas doses inseminantes heterospérmicas, provenientes de 2 machos, de maneira que cada dose contivesse 4 x 109 espermatozóides. As doses com o diluente BTS foram acondicionadas à 17ºC e com o diluente PIGPEL-5 à 5ºC. Nas temperaturas específicas para cada diluente, as doses inseminantes ficaram acondicionadas por 48 horas, sendo avaliadas após a coleta e a cada 24 horas quanto ao número médio de espermatozóides que penetraram por ovócito e quanto à taxa de fertilização in vitro. Todas as análises foram realizadas através do programa STATISTIX. Foram utilizados 1.168 ovócitos, com uma taxa de penetração geral de 77%. Para o teste de penetração in vitro (PEVI) realizado após a coleta do sêmen, foram penetrados 315 ovócitos, às 24 horas 302 ovócitos e às 48 horas 282 ovócitos. Para a coleta 1, a média de espermatozóides que penetraram por ovócito (EPO) após a coleta, com 24 e 48 horas de acondicionamento foi de 4,4 ± 4,6, 3,7 ± 4,9 e 3,4 ± 3,5, respectivamente. Já para a coleta 2, a média foi de 4,0 ± 3,6, 3,1 ± 3,9 e 2,6 ± 3,9, a cada 24 horas. Para o PEVI após 24 e 48 horas de acondicionamento, não foi observada diferença estatística (P > 0,05), porém, foi observada diferença (P < 0,05) após a coleta. As médias de EPO, a cada período (após a coleta, 24 e 48 horas de acondicionamento), não foram diferentes (P > 0,05) para o sêmen diluído com o PIGPEL-5 ou com o BTS. Para o diluente PIGPEL-5, a média de EPO após a coleta, 24 e 48 horas de acondicionamento foi de 4,3 ± 4,2, 3,7 ± 5,0 e 2,8 ± 3,4, respectivamente. Já para o diluente BTS foi de 4,1 ± 4,1, 3,6 ± 3,9 e 2,8 ± 4,0, a cada 24 horas. As freqüências para taxa de penetração in vitro para sêmen proveniente da coleta 1 e 2, logo após a coleta e às 24 e 48 horas de acondicionamento não foram diferentes (P > 0,05), sendo de, respectivamente, 55,6%, 48,3% e 46,5%, enquanto que para a coleta 2 foi de 53,5%, 51,7% e 44,4%, a cada 24 horas. Já as freqüências para taxa de penetração in vitro para sêmen diluído com PIGPEL-5 e com BTS, após a coleta e as 24 e 48 horas de acondicionamento foram, respectivamente: (54,6%, 53,3% e 52,9%) e (63,8%, 55,3% e 45,4%), não sendo diferentes entre si (P > 0,05). A partir dos resultados deste experimento, pode-se concluir que o diluente PIGPEL-5 é capaz de produzir adequadas taxas de penetração in vitro após o acondicionamento, comparado com o diluente BTS.
Palavras-chave: Sêmen
Suínos
Diluente
Penetração espermática
Fertilização
Citação: Rev. Bras. Reprod. Anim., v.28, n.3, p.00-00, Jul./Set. 2004
URI: http://hdl.handle.net/123456789/120
Data do documento: Jul-2004
Aparece nas coleções:Departamento de Patologia Animal: Artigos de periódicos



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.