Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://guaiaca.ufpel.edu.br:8080/handle/123456789/2210
Tipo: masterThesis
Título: Avaliação do crescimento e desenvolvimento de ratos tratados com Pereskia aculeata, Miller
Autor(es): Silva, Débora Oliveira da
metadata.dc.contributor.advisor-co1: Silva, Adriana Lourenço da
Resumo: A planta Perskia aculeata, Miller, conhecida no Brasil como ora-pro-nobis, possui elevados teores de proteína, fibras dietéticas totais, minerais e vitaminas. O presente estudo buscou avaliar o crescimento e o desenvolvimento de ratos tratados com dietas contendo a planta Pereskia aculeata, Miller e restrição de proteína. Foram utilizados 24 ratos machos, recém desmamados da linhagem Wistar. Os animais foram divididos em 4 grupos de dieta: padrão de caseína; restrição total de proteína; substituição de caseína por 40% de Pereskia aculeata e restrição de 40% de proteína. Avaliou-se o crescimento por meio da qualidade protéica com os testes de Coeficiente de Eficiência Protéica (PER), Razão Protéica Líquida (NPR) e Digestibilidade Verdadeira. Já para a análise do desenvolvimento foram realizados os testes de esquiva inibitória, reconhecimento de objetos, testes de reflexo e locomoção. Os resultados demonstram que o grupo que teve restrição de 40% de proteína apresentou valores maiores de Coeficiente de Eficiência Protéica e Razão Protéica Líquida quando comparados ao grupo padrão (p<0,01). Porém, quando analisado o ganho de peso, os animais com restrição protéica tiveram menor ganho ponderal que os do grupo padrão (p<0,01). Já o grupo que recebeu a Pereskia aculeata, Miller apresentou menor ingestão alimentar e maior excreção fecal quando comparado com o grupo padrão (p<0,05). Por isso, também revelou menores valores de Coeficiente de Eficiência Protéica e Razão Protéica Líquida (p<0,01). Além disso, a Digestibilidade Verdadeira também foi significativamente menor que o grupo padrão (p<0,01), fato provavelmente explicado devido ao alto teor de fibras da planta. Enquanto que os testes de desenvolvimento evidenciaram que as dietas com restrição de 40% de proteína e contendo a planta Pereskia aculeata não interferiram na memória dos animais (p>0,05). Entretanto o grupo que recebeu a planta apresentou prejuízo em alguns testes de reflexo (p<0,05). Conclui-se que a restrição de 40% de proteína promoveu menor ganho ponderal quando comparado ao grupo padrão, porém sem alterações nos testes de desenvolvimento. E ainda, que a planta Pereskia aculeata, Miller é efetiva no desenvolvimento cognitivo e exploratório, mas apresenta déficits em alguns testes de reflexos. Por outro lado, não possui boa digestibilidade e não promove o crescimento adequado de ratos recém desmamados.
Palavras-chave: Nutrição
Qualidade protéica
Ora-pro-nobis
Ratos
Desenvolvimento
CNPq: CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::NUTRICAO
Idioma: por
País: BR
Editor: Universidade Federal de Pelotas
Sigla da Instituição: UFPel
metadata.dc.publisher.department: Faculdade de Nutrição
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-Graduação em Nutrição e Alimentos
Citação: SILVA, Débora Oliveira da. Avaliação do crescimento e desenvolvimento de ratos tratados com Pereskia aculeata, Miller. 2012. 28 f. Dissertação (Mestrado em Nutrição) - Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, 2012.
Tipo de Acesso: OpenAccess
URI: http://hdl.handle.net/123456789/2210
Data do documento: 13-Fev-2012
Aparece nas coleções:Pós-Graduação em Nutrição e Alimentos: Dissertações e Teses

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Debora Oliveira da Silva.pdf293,19 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.