Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://guaiaca.ufpel.edu.br:8080/handle/prefix/3795
Tipo: masterThesis
Título: Lembrar é resistir: uma etnografia com a AUSSMPE – Associação de Usuários dos Serviços de Saúde Mental de Pelotas
Título(s) alternativo(s): Remember and resist:an ethnography with AUSSMPE – Associação de Usuários dos Serviços de Saúde Mental de Pelotas
Autor(es): Duarte, Rosi Marrero
Resumo: Este estudo apresenta a etnografia com a AUSSMPE – Associação de Usuários dos Serviços de Saúde Mental de Pelotas, a partir das experiências compartilhadas, sobretudo com base na produção imagética realizada junto a este coletivo. Tem como pano de fundo o questionamento sobre a permanência do modelo manicomial para internações psiquiátricas no município de Pelotas, apesar da reforma psiquiátrica e das novas diretrizes do Sistema Único de Saúde – SUS preconizarem o cuidado em saúde mental em liberdade. A partir dos desdobramentos junto a AUSSMPE, percebendo-os enquanto coletivo de militância na luta antimanicomial, compreendemos as relações de força estabelecidas no campo e, por fim, contribuímos para a composição da memória da loucura neste território. Os desdobramentos apontaram dispositivos importantes no campo, sendo: a música, o desenho, a fotografia e o experimento vídeo/amador, habilidades em desenvolvimento pelos interlocutores, dadas como ferramentas para produção etnográfica.
Abstract: This study presents the ethnography with the AUSSMPE - Associação de Usuários dos Serviços de Saúde Mental de Pelotas, based on the shared experiences, especially on the basis of the imagery produced together with this collective. Has as background the questioning about the permanence of the manicomial model for psychiatric hospitalizations in the Pelotas city, despite the psychiatric reform and the new guidelines of the Sistema Único de Saúde - SUS to advocate the mental health care in freedom. From the outspread of the AUSSMPE, perceiving them as a militant collective in the antimanicomial conflict, we understand the strenght relationships established in the field and, finally, we contribute to the composition of the memory of madness in this territory. The outspread showed important devices in the field, as: the music, the drawing, the photography and video/amateur experiment, skills about developed by the interlocutors, given as tools for ethnographic production.
Palavras-chave: Loucura
Memória
Imagem
Redes de confinamento
Madness
Memory
Image
Confinement networks
CNPq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::ANTROPOLOGIA
Idioma: por
País: Brasil
Editor: Universidade Federal de Pelotas
Sigla da Instituição: UFPel
metadata.dc.publisher.department: Instituto de Ciências Humanas
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-Graduação em Antropologia
Citação: DUARTE, Rosi Marrero. Lembrar é resistir: Uma etnografia com a AUSSMPE – Associação de Usuários dos Serviços de Saúde Mental de Pelotas. 2017. 90f. Dissertação (Mestrado em Antropologia) - Programa de Pós-Graduação em Antropologia, Instituto de Ciências Humanas, Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, 2017.
Tipo de Acesso: OpenAccess
URI: http://repositorio.ufpel.edu.br:8080/handle/prefix/3795
Data do documento: 30-Ago-2017
Aparece nas coleções:Pós-Graduação em Antropologia: Dissertações e Teses

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Rosi_Marrero_Duarte_Dissertação.pdf1,62 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons