Please use this identifier to cite or link to this item: http://guaiaca.ufpel.edu.br:8080/handle/prefix/3823
metadata.dc.type: doctoralThesis
Title: Modos de subjetivação dos trabalhadores de saúde mental e os processos micropolíticos no discurso da desinstitucionalização da loucura
Other Titles: Ways of subjectivization of mental health workers and the micropolitic processes in the discourse of desinstitutionalization of madness
Modi di soggettivazione dei lavoratori di salute mentale e i processi micropolitici nel discorso della deistituzionalizzazione della pazzia
metadata.dc.creator: Argiles, Carmen Terezinha Leal
metadata.dc.contributor.advisor-co1: Andrade, Ana Paula Müller de
metadata.dc.description.resumo: Esta tese tem como objetivo analisar os modos de subjetivação dos trabalhadores em saúde mental e as micropolíticas produzidas no serviço de CAPS a partir do processo de desinstitucionalização da atenção psiquiátrica brasileira. Este processo propõe mudanças paradigmáticas significativas em relação à concepção de loucura e das práticas desenvolvidas na atenção psiquiátrica, o que pressupõe sua relevância para o campo da saúde mental e para a formação nesta área. Utilizamos o referencial de Michel Foucault, para pensar os modos como os trabalhadores se subjetivam através dos discursos e práticas, que circulam em nosso tempo, e os efeitos destes na constituição dos sujeitos. Trabalhamos com suas concepções e proposições de análise, para mapear os modos de subjetivação dos trabalhadores de CAPS, espaço que se constitui a partir do discurso desinstitucionalizante. A perspectiva de proposição de um trabalho com pressupostos de criação, de singularização, de multiplicidade, desafia os trabalhadores e a micropolítica no campo da saúde mental. Este exige além da formação técnica, a implicação política e subjetiva para que estas relações se constituam neste campo. Gilles Deleuze e Felix Guattari nos apresentam conceitos, tais como: agenciamentos, rizoma, territórios existenciais, entre outros, para pensar os movimentos e acontecimentos neste processo. A desinstitucionalização da loucura configura-se uma proposta arrojada, no mundo contemporâneo, onde a vida é cada vez mais concebida como um produto, com valor flutuante. Franco Basaglia, neste cenário colocou em prática essa ousadia, deixando aos profissionais de saúde mental, o legado de fazê-la possível estabelecendo parâmetros éticos na área de atenção psiquiátrica. O estudo realizou-se no CAPS de Alegrete-RS e os sujeitos do estudo compreendem a totalidade dos trabalhadores deste serviço. Como instrumento de informações utilizou-se entrevistas semi-estruturadas e observação participante. Como parte desta análise foram acessados os bancos da pesquisa CAPSUL. Ainda foram usados dados de observação e de depoimentos dos trabalhadores dos serviços de saúde mental de Trieste-Itália onde realizou-se estágio do doutorado sanduíche. A análise realizada subsidia a tese de que o discurso da desinstitucionalização da loucura constituí-se como um novo regime de verdade no campo da saúde mental, este materializa-se nos serviços de CAPS, respondem a um conjunto de enunciados que problematizam a loucura, e os modos de relação desta com a sociedade. A produção deste discurso afeta os modos de subjetivação dos trabalhadores, produzindo processo de singularização, de agenciamentos e transformações nos modos de existência, implicando-se no cuidado do outro. A micropolítica do trabalho a partir do discurso da desinstitucionalização pressupõe a problematização das relações saber-poder que permeiam o campo psicossocial, e as relações da sociedade com a loucura, elaborando assim outros enunciados, que colocam este discurso como uma política de verdade no campo da saúde mental.
Abstract: The purpose of this thesis is to analyze the ways of subjectivization of mental health workers and the micro politics produced within CAPS service resulting from the deinstitutionalization process of the Brazilian psychiatric attention. Such process proposes significant paradigmatic changes concerning both, the conception of madness and the practices used in psychiatric attention. These propositions are relevant to the mental health field itself as well as to its education. Michel Foucault‟s theoretical framework was used to approach the ways one attains subjectivization through discourses and practices which circulate in our times as well as their effects in the constitution of subjects. Foucaultian‟s conceptions and propositions for analysis were used in order to identify the ways of subjectivization employed by CAPS workers. CAPS is a service constituted by the deinstitutionalization discourse. The proposition of a work founded on presuppositions of creation, singularization and multiplicity challenges the workers and the micro politics in the field of mental health.Besides the demands of technical education, such work has political and subjective implications so that these relations be produced in this field. Concepts put forward by Gilles Deleuze e Felix Guattari, such as agency, rhizome, existential territories among others, served as basis to consider the movements and happenings which take place in this process. The deinstitutionalization of madness is a daring proposition in the contemporary world, in which life is conceived of as a product with a fluctuating value. In this context, Franco Basaglia put such boldness into practice, leaving to the mental health professionals the duty of making it possible by establishing ethical parameters in the field of psychiatric attention. The present study took place at the CAPS in the city of Alegrete, RS. The participants in the study were the group of its workers. Semi-structured interviews and participant observation were used to collect the data. Additionally, the CAPSUL databank was accessed as well as information collected by observations and interviews given by mental health workers in Trieste, Italy, where a part of this research was developed. The results confirm the initially proposed thesis that the discourse of the deinstitutionalization of madness is constituted as a new regimen of truth in the field of mental health. Such discourse is materialized in the CAPS services as an answer to a set of enunciations which problematize the madness and its ways of relation with the society. The production of this discourse affects the ways of subjectivization of workers, producing processes of singularization, of agency as well as transformations in the existence modes, resulting in the care of the other. The micro politic of work generated by the discourse of deinstitutionalization presupposes the problematizing of the knowledgepower relations which permeate the psychosocial field and the relations of society with madness, elaborating other enunciations which place this discourse as a politics of truth in the field of mental health.
Questa tesi ha come obiettivo analizzare i modi di soggettivazione del lavoratore in salute mentale e le micropolitiche prodotte nel servizio di CAPS a partire dal processo di deistituzionalizzazione dell‟attenzione psichiatrica brasiliana. Questo processo propone cambiamenti paradigmatici significativi relativo alla concezione di pazzia e delle pratiche sviluppate nell‟attenzione psichiatrica, questo pressuppone sua rilevanza per il campo della salute mentale e per la formazione in quest‟area. Utilizziamo il referenziale di Michel Foucault, per pensare il modo come ci soggettiviamo attraverso i discorsi e pratiche, che ci sono nel nostro tempo, e i loro effetti nella costituzione dei soggetti. Abbiamo lavorato con le sue concezioni e proposizioni di analisi, per conoscere i modi di soggettivazione dei lavoratori del CAPS, spazio che si costituisce a partire del discorso deistituzionalizzante. La prospettiva di proposizione di un lavoro con pressuposti di creazione, di singolarità, di moltiplicità, sfida i lavoratori e la micropolitica nel campo della salute mentale. Questo richiede oltre alla formazione tecnica, d‟implicazione politica e soggetiva affinché questi rapporti si costituiscano in questo campo. Gilles Deleuze e Félix Guattari ci presentano concetti, così come: il suscitare, rizoma, territori esistenziali, tra altri, per pensare i movimenti e avvenimenti in questo processo. La deistituzionalizzazione della pazzia si configura una proposta audace, nel mondo contemporaneo, dove la vita è sempre di più concepita come un prodotto, con valore incostante. Franco Basaglia, in questo scenario ha messo in pratica questa audacia, lasciando ai professionisti della salute mentale, il legato di farla possibile stabilendo parametri etici nell‟area di attenzione psichiatrica. Lo studio si è realizzato nel CAPS di Alegrete –RS e i soggetti dello studio comprendono la totalità dei lavoratori di questo servizio. Come istrumenti di informazioni sono state utilizzate interviste semistrutturate e osservazione partecipante. Come parte di questa analisi si accesserà i banchi della ricerca CAPSUL. Useremo ancora dati di osservazione e testemonianze dei lavoratori dei servizi di salute mentale di Trieste – Itália dove si è realizzato parte del tirocinio di dottorato. I risultati confermano la tesi costruita dal quale il discorso della deistituzionalizzazione della pazzia si costituisce come un nuovo regime di verità nel campo della salute mentale, questo si materializza nei servizi CAPS, respondono ad un insieme di enunciati che problematizzano la pazzia, e i suoi modi di relazione con la società. La produzione di questo discorso affetta i modi di soggettivazione dei lavoratori, producendo processi di singolarità, di suscitare trasformazioni nei modi di esistenza, implicandosi nella cura dell‟altro. La problematizzazione delle relazioni sapere-potere che permeano il campo psicosociale, e le realzioni della società con la pazzia, elaborando così altri enunciati, che mettono questo discorso come una politica di verità nel campo della salute mentale.
Keywords: Saúde mental
Modos de subjetivação
Atenção psicossocial
Desinstitucionalização
Trabalhadores
Mental health
Ways of subjectivization
Psychosocial attention desinstitutionalization
Workers
Salute mentale
Modi di soggettivazione
Attenzione psicosociale
Deistituzionalizzazione
Lavoratori
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::ENFERMAGEM
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Federal de Pelotas
metadata.dc.publisher.initials: UFPel
metadata.dc.publisher.department: Faculdade de Enfermagem
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-Graduação em Enfermagem
Citation: ARGILES, Carmen Terezinha Leal. Modos de subjetivação dos trabalhadores de saúde mental e os processos micropolíticos no discurso da desinstitucionalização da loucura. 2016. 371p. Tese (Doutorado) Faculdade de Enfermagem. Universidade Federal de Pelotas, Pelotas.
metadata.dc.rights: OpenAccess
URI: http://repositorio.ufpel.edu.br:8080/handle/prefix/3823
Issue Date: 8-Aug-2016
Appears in Collections:Pós-Graduação em Enfermagem: Dissertações e Teses

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Tese_Carmen_Terezinha_Leal_Argiles.pdf3,86 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons