Please use this identifier to cite or link to this item: http://guaiaca.ufpel.edu.br:8080/handle/prefix/3921
metadata.dc.type: masterThesis
Title: Associações da atividade sérica da paraoxonase 1 e seu polimorfismo C(-107)T com o consumo alimentar em mulheres pré e pós-menopausa atendidas em serviço de nutrição
Other Titles: Associations of paraoxonase 1 serum activity and its C (-107) T polymorphism with food consumption in pre and postmenopausal women in a nutritional assistance service
metadata.dc.creator: Ritta, Mauren de Castro
metadata.dc.contributor.advisor1: Schneider, Augusto
metadata.dc.contributor.advisor-co1: Oliveira, Isabel Oliveira de
metadata.dc.description.resumo: As doenças crônicas não transmissíveis (DCNT) representam a principal causa de morte no mundo. No Brasil, assim como em outros países, as doenças cardiovasculares (DCV’s) representam um terço dos óbitos em adultos. Em estudo que investigou a prevalência de DCV foi demonstrada que esta se apresentava igual entre os sexos quando as mulheres estavam no período pós-menopausa. A deficiência de estrógeno decorrente desse período está associada a alterações no perfil lipídico, distribuição e composição corporal, que levam a uma modificação oxidativa importante na etiologia da aterosclerose, pois a ação da lipoproteína de alta densidade (HDL-c) estará diminuída. A paraoxonase 1 (PON1) circula ligada ao HDL-c sendo a responsável pela ação ateroprotetora. O gene que codifica a PON1 tem diversos polimorfismos de nucleotídeo único (SNP do inglês, single nucleotide polymorphism), sendo aquele localizado na região promotora C(-107)T o que exerce efeito sobre a atividade sérica e expressão gênica. A atividade da PON1 sofre influencias genéticas, ambientais e fisiológicas que estimulam ou inibem sua ação e expressão. A dieta atua tanto na prevenção de DCV assim como na atividade da PON1. Diante deste contexto, em que diversos fatores contribuem para o risco de DCV’s e de poucos relatos científicos relacionando menopausa, dieta, genótipo e atividade da PON1, percebe-se a necessidade de ampliar os conhecimentos sobre a prevenção de comorbidades associadas a esta fase da vida da mulher. Este estudo foi proposto com o objetivo de relacionar o nível de atividade da PON1 no soro de mulheres em períodos pré e pós-menopausa com a presença do polimorfismo C(-107)T do gene da PON1 e consumo alimentar, visando identificar fatores de risco para DCV. Foi realizado um estudo transversal com 91 mulheres entre 20 e 59 anos, atendidas em serviço de nutrição, divididas em dois grupos, sendo 55 na pré-menopausa e 36 na pós-menopausa. Das participantes foram coletados dados antropométricos,amostra de sangue, aplicado questionário de frequência alimentar (QFA) e questionário geral sobre condições de saúde e hábitos de vida. Foi observada diferença significativa na população com o genótipo TT em relação à baixa atividade da PON1, predomínio de excesso de peso em ambos os grupos, perfil lipídico e glicêmico alterado com diferença significativa para o nível de colesterol total e glicemia de jejum, sendo evidenciada uma tendência ao aumento da lipoproteína de baixa densidade (LDL-c) e hemoglobina glicada (HbA1C) e diminuição no consumo de calorias e carboidratos nas pós-menopausa. A atividade da PON1 não apresentou interação com a menopausa, consumo de lipídios, alimentos processados e in natura. Concluindo estes resultados reforçam a importância de intervenções preventivas e promotoras de estilo de vida saudável, afim de contribuir para o controle de fatores de risco modificáveis, visto que população apresenta uma predisposição para o desenvolvimento de DCV.
Abstract: Non-communicable chronic diseases (NCDs) are the leading cause of death in the world. In Brazil, as in other countries, cardiovascular diseases (CVDs) account for a third of deaths in adults. In a study investigating the prevalence of CVD, the same prevalence was found between sexes when the women were in the postmenopausal period. The estrogen deficiency during this period is associated with alterations in lipid profile, distribution of body fat and body composition. These changes lead to oxidative modifications, important in the etiology of atherosclerosis, since the action of high density lipoprotein (HDL-c) will be reduced. Paraoxonase 1 (PON1) circulates along HDL-c and is responsible for the atheroprotective action. The gene encoding PON1 has several single nucleotide polymorphisms (SNPs), and the one located in the C (-107) T promoter region has an effect on PON1 serum activity and gene expression. The activity of PON1 undergoes genetic, environmental and physiological influences that stimulate or inhibit its action and expression. The diet works both in the prevention of CVD as well as in the activity of PON1. In this context, several factors contribute to the risk of CVDs and there are few scientific reports associating menopause, diet, genotype and PON1 activity, it is necessary to increase the knowledge about the prevention of comorbidities associated with this stage of life of the woman. The aim of this study was to correlate the level of PON1 activity in the serum of pre and post menopausal women with the presence of the C (-107) T polymorphism of the PON1 gene and food consumption, aiming to identify risk factors for CVD. A cross-sectional study was carried out with 91 women between 20 and 59 years of age, that attended at a nutrition service, divided into two groups: 55 premenopausal women and 36 postmenopausal women. Anthropometric data was collected from the patients, as well as blood sample, a food frequency questionnaire (FFQ) and general questionnaire on health conditions and life habits were applied. A significant difference was observed in the population with the TT genotype, having lower PON1 activity, predominance of overweight in both groups, altered lipid and glycemic profile with significant difference for total cholesterol and fasting glycemia levels. A tendency to increase low-density lipoprotein (LDL-c) and glycated hemoglobin (HbA1C) and decrease post-menopausal calorie and carbohydrate intake was observed. The activity of PON1 did not show interaction with menopause, lipid consumption, and ingestion of processed foods or in natura. Concluding these results reinforce the importance of preventive and healthy lifestyle interventions in order to contribute to the control of modifiable risk factors, since the population presents a predisposition for the development of CVD.
Keywords: Paraoxonase1
Menopausa
Doenças cardiovasculares
Menopause
Cardiovascular diseases
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::NUTRICAO
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Federal de Pelotas
metadata.dc.publisher.initials: UFPel
metadata.dc.publisher.department: Faculdade de Nutrição
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-Graduação em Nutrição e Alimentos
Citation: RITTA, Mauren de Castro. Associações da atividade sérica da paraoxonase 1 e seu polimorfismo C(-107)T com o consumo alimentar em mulheres pré e pós-menopausa atendidas em serviço de nutrição. 2017. 61f. Dissertação (Mestrado em Nutrição e Alimentos) – Programa de Pós-Graduação em Nutrição e Alimentos, Faculdade de Nutrição, Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, 2017.
metadata.dc.rights: OpenAccess
URI: http://guaiaca.ufpel.edu.br:8080/handle/prefix/3921
Issue Date: 4-Aug-2017
Appears in Collections:Pós-Graduação em Nutrição e Alimentos: Dissertações e Teses

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Dissertacao_Mauren_Ritta.pdf1,67 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons