Please use this identifier to cite or link to this item: http://guaiaca.ufpel.edu.br:8080/handle/prefix/7868
metadata.dc.type: masterThesis
Title: Dimensão espaço-temporal do crime patrimonial de roubo a pedestre no contexto da criminalidade em Pelotas/RS de 2016 a 2019.
Other Titles: Space-time dimension of the property crime of theft to pedestrians in the context of crime in Pelotas/ RS from 2016 to 2019.
metadata.dc.creator: Aires, Cintia Helenice Löper
metadata.dc.contributor.advisor1: Collischonn, Erika
metadata.dc.description.resumo: Os dados crescentes de insegurança e de criminalidade incidem diretamente na qualidade de vida, na produção e transformação dos espaços urbanos, influenciando, desta forma, novas formas de apropriação e sociabilidade. Por isso, espaço, paisagem e percepção foram considerados conceitos fundamentais neste estudo, assim como, a Segurança Pública que, no Brasil, passou por um processo de transformação e evolução de seus paradigmas nas últimas décadas, até a chegada da concepção de Segurança Pública Cidadã que trás consigo o protagonismo dos municípios e a segurança pública baseada em evidências científicas, que se consubstancia em fontes teóricas que explicam os fenômenos da criminalidade. Uma contextualização de Pelotas na rede urbana e quanto aos índices de criminalidade também é realizada para, posteriormente, rumar para o objetivo da pesquisa que é a realização de uma análise espaço temporal dos crimes de roubos a pedestres em Pelotas, avaliando fatores que podem influenciar ou facilitar seu cometimento. Os procedimentos metodológicos envolveram: coleta de dados secundários e primários; organização de dados em Sistema de Informação Geográfica (SIG) para as análises espaciais e em planilha eletrônica para outras análises quantitativas; estudos anteriormente realizados também contribuiram qualitativamente. A análise desenvolveu-se em três escalas: escala municipal com foco na sede, escala intraurbana com foco no centro, escala da Praça Coronel Pedro Osório e entorno. Os resultados apontam que, de 2016 a 2019, os padrões temporais de roubos a pedestres em Pelotas foram heterogêneos e o comportamento espacial foi relativamente homogêneo quando relacionado ao Centro. A análise dos segmentos de ruas com maior incidência de casos registrados, juntamente com a aplicação do questionário sobre a percepção de segurança, somados aos mapas comportamentais, apontam para uma consistência das teorias criminais na explicação de parte dos delitos registrados em Pelotas (RS). Nesse aspecto, constatou-se que segurança envolve a percepção, ou seja, nem sempre é preciso haver muitos casos de crimes para que as pessoas se sintam inseguras. Já o esvaziamento de determinados locais ou ruas, não evita que crimes aconteçam e muito menos diminui a sensação de insegurança. Na análise dos segmentos de ruas a paisagem retratada apresenta-se em desacordo com as teorias de espaços seguros, pois não há diversificação de atividades, predominando o uso por estabelecimentos comerciais, em ruas estreitas, com grandes paredes extensas, muros e paradas de transporte público. Alguns desses elementos propiciam lugares de esconderijo para o cometimento de um delito, assim como, não proporcionam relações de pertencimento e cuidado, são locais de uso transitório seja para deslocamento ao trabalho, a estabelecimentos de ensino ou a outros serviços. Por fim, a iluminação precária tanto nas vias analisadas quanto na principal praça da cidade, a Praça Coronel Pedro Osório, corroboram para a ocorrência do crime. Constatou-se que teorias criminais relacionadas ao espaço, amplamente testadas em outras circunstâncias, explicam de algum modo a distribuição do crime na área estudada.
Abstract: The growing data on insecurity and crime directly affect the quality of life, production, and transformation of urban spaces, thus influencing new forms of appropriation and sociability. Therefore, space, landscape and perception were considered fundamental concepts in this study, as well as the Brazilian Public Security, which underwent a process of transformation and evolution of its paradigms in the last decades, until the arrival of the concept of Citizen Public Security which brings with it the leading role of municipalities and public security based on scientific evidence, which is substantiated in theoretical sources that explain the phenomena of criminality. A contextualization of Pelotas in the urban network and in terms of crime rates is also carried out to, later, move to the research objective, which is to carry out a temporal spatial analysis of the crimes of pedestrian robbery in Pelotas, evaluating factors that can influence or facilitate your commitment. The methodological procedures involved: collection of secondary and primary data; organization of data in a Geographic Information System (GIS) for spatial analysis and in an electronic spreadsheet for other quantitative analyses; previous studies also contributed qualitatively. The analysis was carried out in three scales: municipal scale focusing on the county seat, intra-urban scale focusing on the central area, scale of Coronel Pedro Osório central public square and surroundings. The results show that, from 2016 to 2019, the temporal patterns of pedestrian robberies in Pelotas were heterogeneous and the spatial distribution was relatively homogeneous when related to the Center. The street segments for which the analysis indicates highest incidences of registered cases, as well as the application of the questionnaire on the perception of safety, added to behavioral maps, point to a consistency of criminal theories in explaining part of the crimes registered in Pelotas (RS). In this aspect, it was found that security involves perception, that is, it is not always necessary to have many cases of crimes for people to feel insecure. The emptying of certain places or streets does not prevent crimes from occurring and, in most cases, increases the feeling of insecurity. In the analysis of the street segments, the landscape portrayed disagrees with theories of safe spaces, as there is no diversification of activities, with a predominance of use by commercial establishments, in narrow streets, with large, extensive walls and bus stops. Some of these elements provide hiding places for the commission of a crime, as well as they do not provide relationships of belonging and care, they are places of transitory use, whether for travel to work, educational establishments or other services. Finally, the poor lighting both on the analyzed streets and on the central public square and surroundings corroborate for theft occurrence. It was found that criminal theories related to space, widely tested in other cities, somehow explain the distribution of crime in the studied area.
Keywords: Crime
Roubo a pedestre
Dimensão espaço temporal
Paisagem
Percepção
Pedestrian robbery
Time-space dimension
Landforms
Perception
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::GEOGRAFIA
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Federal de Pelotas
metadata.dc.publisher.initials: UFPel
metadata.dc.publisher.department: Instituto de Ciências Humanas
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-Graduação em Geografia
Citation: AIRES, Cintia Helenice Löper. Dimensão espaço-temporal do crime patrimonial de roubo a pedestre no contexto da criminalidade em Pelotas/RS de 2016 a 2019. 2021. 142f. Dissertação (Mestrado em Geografia) - Programa de Pós-Graduação em Geografia. Instituto de Ciências Humanas. Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, 2021.
metadata.dc.rights: OpenAccess
URI: http://guaiaca.ufpel.edu.br:8080/handle/prefix/7868
Issue Date: 1-Jun-2021
Appears in Collections:PPGeo: Dissertações e Teses

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Dissertacao_CINTIA_HELENICE_LOPER_AIRES.pdf7,39 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons