Please use this identifier to cite or link to this item: http://guaiaca.ufpel.edu.br:8080/handle/123456789/1887
metadata.dc.type: masterThesis
Title: Práticas dos trabalhadores de saúde na comunidade nos modelos de atenção básica do sul e nordeste do Brasil
metadata.dc.creator: Martins, Alexandra da Rosa
metadata.dc.contributor.advisor-co1: Soares, Marilu Correa
metadata.dc.description.resumo: A Atenção Básica à Saúde (ABS) caracteriza-se por um conjunto de ações no âmbito individual e coletivo, realizadas por equipes multiprofissionais, que visam à promoção e proteção da saúde, a prevenção de agravos, o diagnóstico, o tratamento, a reabilitação e a manutenção da saúde. O objetivo do estudo foi verificar a prevalência de participação dos trabalhadores da ABS em práticas de saúde na comunidade. Em 2005 foi realizado um estudo transversal com 3.743 trabalhadores de 240 Unidades Básicas de Saúde (UBS) dos modelos de atenção Tradicional e PSF, em 41 municípios com mais de 100 mil habitantes das regiões Sul e Nordeste do Brasil. A prevalência de participação dos trabalhadores em atividades na comunidade foi de 62,7% , sendo 57,7% no Sul e 65,9% no Nordeste. Em relação ao modelo, a prevalência foi de 35,0% nas UBS Tradicionais e de 65,0% no PSF. As variáveis associadas com maior participação em ações na comunidade foram sexo, idade, escolaridade, vinculação a plano de carreira, outro emprego além do atual na UBS, capacitação no manejo de doenças crônicas, utilização de protocolos, satisfação com reuniões comunitárias e vinculação da UBS com o ensino. Na estratificação de acordo com as regiões e o modelo de atenção, identificaram-se diferentes associações. Os resultados mostram que na região Nordeste e no PSF houve maior participação em atividades fora da UBS reafirmando as expectativas do contexto histórico da reorganização da ABS no Sistema Único de Saúde que foi impulsionada tanto pela experiência positiva do Programa de Agentes Comunitários de Saúde quanto pela necessidade de ampliar o acesso ao sistema para populações excluídas no Nordeste. Mesmo assim é necessário ampliar a participação dos trabalhadores junto à comunidade independente do modelo de atenção, considerando que a ABS é o nível de atenção que possibilita a construção de práticas fundamentadas no contexto de vida das pessoas.
Abstract: Primary Health Care or Health Basic Attention in Brazil (ABS) is characterized by a set of individual and collective actions carried through for multiprofessional teams that aimed at to the promotion and protection to the health, prevention, diagnosis, treatment, rehabilitation and the maintena ce of the health. This study aims to determine prevalence of ABS workers participation in community health practices. In 2005 a cross-sectional study was carried out comprising 3,743 workers of 240 Basic Health Units (BHU) and the study was about Family Health Program (PSF) and Traditional assistance models in 41 municipalities with more than hundred thousand inhabitants from South and Northeast, Brazil. The prevalence of workers participation in community activities was 62.7% (95% CI 61.1 to 64.3) and 57.7% in South and 65.9% in Northeast. Related to the assistance model, the prevalence was 35.0% in Traditional UBS and 65.0% in PSF. Variables associated with greater participation in the community activities were sex, age, education, linking the career plan, other job than the current one at UBS, training in the management of chronic diseases, use of protocols, satisfaction with community meetings and linking of education with UBS. When stratifying according to the areas and the model of health assistance, several associations were identified. The results show that in Northeast and Family Health Program there was higher participation in activities outside of UBS, reaffirming the expectations of the historical context of the reorganization on the ABS in the Public Health System, that was stimulated as much for the positive experience of the Program of the Communitarian Agents oh the health how much for the necessity to extend the access to the system for excluded population in northeast region. Even so it was observed that there is a need to expand the workers participation in community regardless of assistance model, considering that ABS is the level of care that makes possible the construction of practices based on the context of the life people.
Keywords: Sistema de saúde
Atenção básica à saúde
Serviços de saúde
Prática profissional
Health systems
Primary health care
Health services
Professional practices
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::ENFERMAGEM
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: BR
Publisher: Universidade Federal de Pelotas
metadata.dc.publisher.initials: UFPel
metadata.dc.publisher.department: Faculdade de Enfermagem
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-Graduação em Enfermagem
Citation: MARTINS, Alexandra da Rosa. Práticas dos trabalhadores de saúde na comunidade nos modelos de atenção básica do sul e nordeste do Brasil.. 2009. 110 f. Dissertação (Mestrado em Enfermagem e Obstetrícia) - Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, 2009.
metadata.dc.rights: OpenAccess
URI: http://hdl.handle.net/123456789/1887
Issue Date: 4-Dec-2009
Appears in Collections:Pós-Graduação em Enfermagem: Dissertações e Teses

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Dissertacao_Alexandra_da_Rosa_Martins.pdf1,03 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.