Please use this identifier to cite or link to this item: http://guaiaca.ufpel.edu.br:8080/handle/prefix/4188
metadata.dc.type: masterThesis
Title: A arte de Mary Cassatt e Camille Claudel: relações de gênero como construção histórica na França no final do século XIX.
Other Titles: The Art of Mary Cassatt and Camille Claudel: gender relations as a historical construction in France in the late nineteenth century
metadata.dc.creator: Herbstrith, Taslins Ferreira
metadata.dc.contributor.advisor1: Chaves, Larissa Patron
metadata.dc.description.resumo: Esta dissertação analisa as relações de gênero, história e sociedade, a partir da trajetória de duas mulheres artistas ativamente inseridas no campo da Arte na França no final do século XIX: Mary Cassatt e Camille Claudel. Mary Cassatt (1844-1920) artista estadunidense, passa sua vida adulta em Paris e estabelece conexões com os impressionistas e críticos de arte, alavancando sua produção para além das fronteiras entre os dois países. Camille Claudel (1864-1943), artista francesa, tem uma intensa produção na área da escultura no final do século XIX, alternando referências simbolistas e autorais, em meio a um contexto conturbado junto ao artista Auguste Rodin, com quem produz grande parte de sua vida. Este trabalho tem por objetivo questionar suas trajetórias, obscurecidas em meio a uma historiografia tradicional e em grande parte masculina. Utilizam-se como fontes documentais cartas e biografias, assim como as obras produzidas por elas no período em questão. A metodologia empregada na pesquisa é a análise comparativa das imagens e textos como narrativas, tendo como foco a discussão acerca das categorias do público x privado, propostas por Griselda Pollock (1988), no que diz respeito às diferentes formas como homens e mulheres se locomoviam na França no final do século XIX, e à relação existente entre sexualidade, modernidade e modernismo. Também é referencial da investigação Marcel Detienne (2004) pela possibilidade de se comparar objetos distantes, como a trajetória de duas artistas que viveram em temporalidades distintas apesar de mesma espacialidade, de modo a entender de que forma o protagonismo artístico se deu na trajetória das artistas, em meio a seu papel social e contexto de produção. Nesse sentido, compreendeu-se que ambas inseriram-se no sistema das Artes por intermédio de suas relações pessoais. Ainda que distintas, suas posições sociais influenciaram para que obtivessem espaço em um campo dominado pela masculinidade. Mary Cassatt conheceu o sucesso e o desfrutou o mesmo não aconteceu com Camille Claudel que teve de lidar com uma sociedade com padrões rígidos no que diz respeito ao comportamento de uma mulher independente demais para a época.
Abstract: This dissertation analyzes the relations of gender, history and society, from the trajectory of two women artists actively inserted in the field of Art in France in the late nineteenth century: Mary Cassatt and Camille Claudel. Mary Cassatt (1844-1920), an American artist, spends her adult life in Paris and establishes connections with the impressionists and critics of art, leveraging her production beyond the borders between the two countries. Camille Claudel (1864-1943), French artist, has an intense production in the area of sculpture in the late nineteenth century, alternating symbolist and authorial references, amidst a troubled context next to the artist Auguste Rodin, with whom he produces much of his life. This work aims to question their trajectories, obscured in the middle of a traditional and largely male historiography. Letters and biographies, as well as the works produced by them in the period in question, are used as documentary sources. The methodology used in the research is the comparative analysis of images and texts as narratives, focusing on the discussion about the categories of the public x private, proposed by Griselda Pollock (1988), regarding the different ways men and women move in France at the end of the nineteenth century, and the relationship between sexuality, modernity and modernism. It is also a reference of the Marcel Detienne (2004) research for the possibility of comparing distant objects, such as the trajectory of two artists who lived in different temporalities despite the same spatiality, in order to understand how the artistic protagonism occurred in the trajectory of the artists, in the midst of its social role and production context. In this sense, it was understood that both were inserted in the system of Arts through their personal relations. Although different, their social positions influenced to obtain space in a field dominated by masculinity. Mary Cassatt knew the success and enjoyed the same did not happen with Camille Claudel who had to deal with a society with rigid standards regarding the behavior of a woman too independent for the time.
Keywords: Mary Cassatt
Camille Claudel
Gênero
Arte
História
Genre
Art
History
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::HISTORIA
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Federal de Pelotas
metadata.dc.publisher.initials: UFPel
metadata.dc.publisher.department: Instituto de Ciências Humanas
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-Graduação em História
Citation: HERBSTRITH, Taslins Ferreira. A arte de Mary Cassatt e Camille Claudel: relações de gênero como construção histórica na França no final do século XIX. 2017. 116f. Dissertação (Mestrado em História) – Programa de Pós-Graduação em História. Instituto de Ciências Humanas. Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, 2017.
metadata.dc.rights: OpenAccess
URI: http://guaiaca.ufpel.edu.br:8080/handle/prefix/4188
Issue Date: 16-Oct-2017
Appears in Collections:Pós-Graduação em História: Dissertações e Teses

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Taslins_Ferreira_Herbstrith_Dissertação.pdf2,94 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons